Polícia Civil prende quadrilha acusada de falsificar documentos fornecidos pelo DETRAN

“A quadrilha estava falsificando documentos obrigatórios, utilizando um computador para inserir os dados da pessoa em uma cédula em branco

Por Redação 05/07/2017 - 13:04 hs
Foto: Lays Peixoto
Polícia Civil prende quadrilha acusada de falsificar documentos fornecidos pelo DETRAN
Documentos falsos foram apreendidos como prova

A Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos e policiais da Diretoria da Capital em parceria com o Departamento Estadual de Trânsito de Alagoas (Detran/AL, desarticulou uma quadrilha especializada em falsificação de Carteira Nacional de Habilitação (CNH), Certificado de Registro e Licenciamento de Veículos (CRLV) e o Certificado de Registro de Veículos (CRV). 

Em coletiva de imprensa nesta terça-feira (4), na sede do Detran/AL, o diretor-presidente da autarquia, Antônio Carlos Gouveia, explicou como a fraude funcionava: 

“A quadrilha estava falsificando documentos obrigatórios, utilizando um computador para inserir os dados da pessoa em uma cédula em branco. Depois imprimiam o documento e cobravam um valor significativo por esse trabalho. Eles também tinham carimbos e selos de cartório e, ainda, faziam autenticação falsa”, disse o diretor. 

De acordo com a titular da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos, delegada Maria Angelita, a investigação durou três meses e resultou na prisão de duas pessoas que agiam na falsificação de diversos tipos de documentos obrigatórios, além da apreensão do matérial utilizado na fraude, como impressora, notebook e carimbos. 

Ainda segundo a delegada, as prisões aconteceram de maneira isolada e contaram com a colaboração do Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc) e policiais civis.

“Com a investigação conseguimos identificar os acusados e o local que eles utilizavam para praticar o crime. O primeiro suspeito foi preso com os carimbos e o segundo foi detido em uma sala, localizada na Jatiúca, onde funcionava a impressão da documentação falsa utilizada para as mais diversas transações. A investigação continua e mais suspeitos de integrarem a quadrilha poderão ser presos”, concluiu Maria Angelita.

 

Fonte: Agencia Alagoas